Esta iniciativa oferece benefícios ambientais e sociais, gerando renda extra a pescadores da Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, para a remoção de resíduos do mar em seus barcos de pesca tradicionais.

06/04/2022 05/04/2023

Financiamento

  • Ogyre

Sobre o projeto

Após uma etapa piloto bem-sucedida em 2021, está em andamento a segunda fase deste projeto de remoção de resíduos sólidos da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, por pescadores locais.

Pescadores de colônias tradicionais da região estão removendo resíduos da Baía em seus barcos de pesca, com uma meta de coletar 100 toneladas durante um período de 12 meses. A ‘pesca’ está sendo registrada e monitorada por meio do aplicativo KOLEKT da BVRio , como parte dos testes de campo do aplicativo. O app utiliza imagens e GPS para verificar os registros feitos pelos pescadores sobre o total coletado e triado, e também permite que eles vendam o material diretamente para reciclagem, no caso, a cooperativa Cooperecológica. Conectado à internet, o app é usado para rastrear e monitorar todas as transações.

Equipes do jornal O Globo e da agência de notícias Reuters visitaram os pescadores no início do projeto, para conversar sobre este novo trabalho e o impacto causado pelo lixo jogado no mar.

O pescador Francinaldo Alves da Silva, disse que o local está todo tomado pela poluição e a vida na Baía vai morrendo com o lixo. “O que o projeto paga está salvando a gente. Já estava difícil, e com essa chuva agora vem muito lixo dos rios. Não dá para pescar”, lamenta.

Impacto

Tecnologia

Usado pela primeira vez na fase piloto deste projeto, o aplicativo KOLEKT está de novo sendo usado para registrar e monitorar a ‘pesca’. O KOLEKT utiliza imagens e GPS para verificar as entradas tanto do vendedor – os pescadores – quanto do comprador – cooperativa local de reciclagem Cooperecológica.

Todos os dias, quando retornam do mar, os pescadores acompanham o volume coletado registrando no aplicativo os resíduos, classificados por tipo de material. O material é então ‘anunciado’ no aplicativo e vendido para a cooperativa de reciclagem local. Por fazer parte do teste do app, esse acordo com a cooperativa foi feito previamente por intermédio da BVRio. Contudo, quando o KOLEKT estiver totalmente implantado, os catadores poderão negociar os resíduos em um mercado aberto e vender para quem fizer a melhor oferta.

O KOLEKT permite a rastreabilidade dos resíduos ao longo de toda a cadeia de reciclagem e, assim, mapeia todas as partes envolvidas no processo. Os dados são registrados num formato mais eficiente para monitorar, validar, verificar e certificar a recuperação e a reciclagem de resíduos, conforme normas reconhecidas. Os materiais são registrados no aplicativo por peso, tipo e condição, além da data e local da coleta serem registrados com fotografias, para que todos da cadeia de coleta e reciclagem possam ver quais materiais estão sendo oferecidos ou solicitados próximos a eles.

Tanto os pescadores quanto a cooperativa estão dando feedback sobre a funcionalidade do aplicativo como parte deste experimento.

Entre em contato com a nossa equipe

E-mail
Alinhamento com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU